quinta-feira, 22 de março de 2012

Ferramentas do passado



Tendo no passado uma prisão
Não te conformas, nem te revoltas
Vives a agonizante ilusão
Da cerração de todas as portas

Tendo no passado um troféu
Lustra-o com afinco e esmero
Posto que já não provas do mel
Te alimentas das ruínas do castelo

Tendo no passado um exemplo
Sentirás as dores de lembrar
Os erros empilhados pela estrada

Mas, sob os escombros do lamento
Encontrarás as ferramentas pra mudar
O teu futuro, a tua vida, a tua jornada

Mateus Medina 
21/03/2012

3 comentários:

  1. Um soneto em que os traços do passado se encontram para tecer caminhos futuros.

    Muito bonito!

    Um beijo

    ResponderEliminar